27 de abr de 2011

Eu interior



Podemos nos comparar como uma casa,
comece a analisar... este cenário.
Voce quer saber de entrar nela,
ou prefere ficar só vendo a fachada?
Essa casa é o seu corpo.
Nela estão suas lembranças, experiências,
seus valores, crenças, sua história de vida.
Sem perceber, desde os primeiros anos de vida
você sentiu as pressões familiares, sociais e morais.
"Tire a mão daí"
"Fique quieto"
"Você não faz nada direito"...
Foi desenvolvendo em você o complexo do inadequado.
Consciente ou inconsciente de suas consequências,
você já vive de suas escolhas passadas.
O que importa é o poder do agora.


Sua casa de verdade, por natureza, dinâmica, alegre,
harmoniosa, foi aos poucos sendo substituída por
uma casa estranha que você aceita com dificuldade,
no fundo, no fundo
você a rejeita.



Como assumir de novo a sua verdadeira casa?
O primeiro passo é aceitar que você pode mudar,
pode romper com os padrões distorcidos da educação,
da cultura e aceitar a sua beleza interior.
Nunca é tarde demais para liberar-se da programação
de seu passado, e assumir você.

É hora de dar um passo avante, ser você de verdade,
e deixar cair as máscaras, disfarce, poses,
o "faz de conta" e passar a ser e a ter a
coragem de ser autêntico com você.

Reencontrar as chaves da sua casa
é transformar a sua vida para melhor,
nos níveis físico, mental, emocional e espiritual.
É ganhar uma disposição ímpar,
que
passa a tomar conta do seu eu interior.
Isso é a manifestação da boa energia que você está
se dando que, por sua vez, vai desenvolvendo em você
várias capacidades que você, até então, desconhecia.


Tomar posse da sua verdadeira casa e habitá-la é
encontrar vitalidade, energia, paz, saúde e autonomia.
Em qualquer idade, você pode livrar-se das pressões que
cercaram a sua vida interior, e poder perceber o belo,
o bem feito, o autêntico, o maravilhoso ser que você é.
É disso que a nossa alma precisa, para se realizar e ser feliz!!


Onde estão as suas chaves?