22 de fev de 2011

A vítima

Um dos fatores que impedem o desenvolvimento do ser humano
é ele se colocar no lugar de vítima
Não conheço ninguém que não tenha tido,
pelo menos uma vez na vida,
uma crise de pena de si, quando uma coisa
não saiu como se imaginou.
Nesta hora, a nossa alma cria uma dor no peito,
de fora para dentro, mostrando que estamos nos anulando.
É a dor de pena de nós!
Entramos no vitimismo e somos nós os responsáveis,
afinal fomos nós que criamos, alimentamos,
sustentamos exclusivamente para
boicotar nosso impulso de viver.
No fundo a dó de si é uma raiva, porque
vive-se em função do mundo exterior,
acha-se sempre menos, despreza o seu valor, trai seus
sentimentos, suas necessidades, seus desejos, seu querer...
Mas sempre que agimos assim,
estamos desrespeitando o imenso poder
criativo e realizador que existe em nós.
E para exercer a liberdade desse poder
temos que eliminar essa vitima em nós.
O segredo é assumir a responsabilidade por
tudo que nos cabe e por nossas escolhas,
a vítima não gosta de se responsabilizar por nada,
tudo que lhe acontece é culpa do outro.
Para sair de diferentes situações em que se sente vítima
temos que reconhecer que não estamos nesta posição por acaso.
Temos que resgatar o
nosso poder e passar a se posicionar para o melhor.

Tudo o que nos acontece fora, é a vida mostrando o
que já estamos fazendo conosco, às vezes sem perceber.
A partir do momento que tomamos esta consciência que tudo
é responsabilidade nossa... crescemos e
não nos permitimos mais
vestir a fantasia da VÍTIMA.


Porque não podemos destruir a "vítima"
se somos suficientemente poderosos para criá-la?