11 de set de 2008

Terapia do grito


Grande terapia é subir montanha e lá gritar,
tentando ouvir o eco.
Gritar renova totalmente o oxigênio dos pulmões;
e oxigênio extra é sinônimo de bem-estar.
Outro jeito de gritar dentro das regras sociais e sem
parecer que você perdeu um parafuso é fingir
que canta, no chuveiro.
Ou, em último caso, com o rosto na almofada....
Grite, também praticando um esporte ou torcendo pelo seu time,
mesmo em frente à televisão;
grite, ainda, na matinê
do cinema, vibrando com o mocinho que está pegando o bandido.
Comece a reparar nisto:
com o grito, sai de você uma
tensão perturbadora, acumulada sabe se lá por quê... gritar, desestressa!!
Aliás, muitos técnicos esportivos treinam
seus atletas fazendo com que gritem, no bom sentido.
Berros fazem até parte de algumas lutas marciais do Oriente como kung-fu.
Outra maneira fantástica de extravasar tensões através da voz,
em casa, é jogar truco.
O grito, nele é essencial.
Estão liberados também socos na mesa, sapateados e o que for.
Quer dizer, ao se ouvir uma gritaria numa casa,
se a explicação for "estão jogando truco", ninguém estranhará.
Experimente a terapia do grito,
com jeito, quando você sentir que está sofrendo de raiva encolhida.
Faz um bem danado!!

Então aí vai uma dica, dê um grito, pelo menos uma vez por mês.